Agradecimentos

Rodrigo Nunes

Merlin Video

Amanda Paulino

Dyogo Mochon

Eliene Bessa

Patrícia Politano

Saint Studio

Santa Costura

Vila dos Eucaliptos

Eve Cândido

Bruce Dickson

Cléo de Paula

Julio David (Suporte)

Letícia Amorim

Pedro Patrício

 

Apoio

Grupo SonhE

Fernanda Proa

Vivian Antunes

Pulsante é um curta metragem escrito e dirigido por maví que conta a história de uma mulher que, após receber a notícia de um câncer avançado, revisita seu passado a fim de reconhecer seu presente e futuro.

Produção

Lucas Cuca

Assist. Produção

Lucas Benatti

Maquiagem

Ana Pacelli

Figurino

Juliana Vieira

Assist. Arte

Adriano Pacelli

 

Mixagem de som

Adriano Ferreira

 

Efeitos Visuais

Up Inspiring Motion

 

Design & Ilustração

Bruno Café

 

Motorista

Enéas da Silva

Direção Roteiro e Fotografia

MAVÍ

Poema

Fernanda Proa

Realização

Têmpora

Elenco

Julia Mendes

Nina Mochon

Lara Mochon

Lu Chagas

Pedro Pauleey

Bia Politano

Matheus Aoki

vozes pulsantes

DOC

Como parte do processo de desenvolvimento do filme, fomos ouvir pessoas que estiveram em contato com o câncer de mama. O resultado se tornou um documentário como apêndice ao filme. E você pode assisti-lo aqui.

Um vento passou e bateu a janela
O som da trinca, do grito
O vidro estilhaçado no chão
Quis catar os cacos
E o sangue brotou da pele rota
Como um anúncio do fugaz
Escorrendo por entre os dedos
Dando a medida do tempo

Lembrei daquele balanço que me fazia encostar as mãos no céu
Do vento que percorria meus cabelos
Meus domingos cheiravam a calda de açúcar
E eu ficava na ponta dos pés para alcançar o doce que ainda esfriava em cima da mesa
O tempo não tinha medida
E eu fingia que era gente grande
Queria ver quem chegava primeiro e salvava o mundo

Depois Vivi a intensidade da vida despretensiosa
Da vida que se preenchia de conversas fiadas sobre interesses breves
Da vida que se bastava das trocas instantâneas
Eu queria tudo, no imediatismo insano como aquele contido nos segundos que separam duas bocas de um beijo
Me entreguei a momentos, às vontades
Me acolhi tantas vezes no abraço do mar
Na imensidão que compartilhávamos
Me apaixonei pela linha tênue que me separava da menina que ainda buscava por estrelas cadentes no céu

Tropecei em outro amor
Me peguei em devaneios de felicidade eterna
Lembrei-me das mãos que percorriam meus cabelos e depois desciam ao meu rosto
Fechava os olhos para que durasse mais
E o tempo se expandiu no entrelace dos nossos dedos e das nossas vidas
E eu quis gerar mais vida
Que transbordou por todos os cantos da nossa casa
Nos brinquedos espalhados pelo chão
Nas noites mal-dormidas
No assistir ao amanhecer contendo nos meus braços o que de mim permaneceria e seguiria

O vidro quebrado no chão espelhava a luz da janela
Debruçando-me, recebi em meu rosto o calor dos raios de vida pulsante
Em meu peito, aqueceu minh'alma
Fechei os olhos e escutei a música que resgata o que fui, sou

Na toada dos meus encontros e desencontros
E com melodia que continua a encantar meus ouvidos
Para além das notas no papel, permaneço
Para além dos cacos, permaneço